2ª Etapa - 06/08/2017 - Interlagos

CDK Fighting Championship

O ambiente familiar e muito agradável da Confraria teve uma pequena mancha nesse domingo (6) com uma cena bem desagradável protagonizada por 3 pilotos que não sabem que a disputa de dentro da pista não é levada para fora. Quando é dada a bandeirada, toda e qualquer desavença ali ocorrida, acaba. Não foi o caso nessa etapa que tinha tudo pra ser mais um domingo bonito de sol e cerveja com os amigos... Fica a vergonha alheia dos pilotos que presenciaram o capítulo desprezível e o pedido para que isso não se repita.

Acelera CDK !!!

AS CORRIDAS

GRADUADOS - G2

Na corrida de abertura do dia da CDK, onde, até então, havia um clima agradável, como sempre, após a corrida os pilotos Thiago Lobo, Guilherme e Gustavo Romano protagonizaram uma cena lamentável nos boxes, que terminou em chutes, socos e pontapés. Até quem tentou separar a briga (Danylo) saiu no prejuízo. Na pista, Resek, que corria como reserva, não quis saber de brincadeira. O cara largou em último e chegou em primeiro, cravou a melhor volta e deu um show naquela que foi a primeira corrida do dia. Caio Tonin, que após vencer a etapa inicial no Speedland, quase colocou água no chope do piloto do G1 chegando em segundo, e entrou forte na briga por um lugar no grupo de elite da Confraria. E como no G2 a briga é sempre intensa, colado no Caio veio o Ratão que chegou a apenas 0.2s depois, quase faturando o segundo posto no pódio, mas não foi o suficiente. Completaram o pódio Daniel Borges em 4º, Paulo Daniel em 5º e Edgar em 6º. Obs.: Por terem começado a confusão fora da pista, Guilherme e Gustavo Bavaresco estão punidos com a desclassificação nas duas próximas corridas. Thiago Lobo, por não ter levado desaforo pra casa, com 1 corrida.

LIGHT - G3

No grupo de entrada da CDK é sempre uma surpresa o que acontece na pista, e dessa vez não foi diferente. Uma lambança aqui, feita ao diretor de provas Diógenes Souza (que mais uma vez teve suas decisões questionadas pelos Confrades). Por entender que o reserva Guilherme Bassi rodou outro piloto (quando o mesmo é que foi rodado), já na volta seguinte DIOgenes aplicou um TP sem ao menos dar ADV, e antes das 3 voltas de tolerância para cumprir a punição, ele deu bandeira preta para o Confrade. Sem acreditar no que acontecia, Guilherme não saiu da pista, pois foi aí que o grande DIOgenes não teve dúvida: bandeira vermelha. Problema resolvido, tirou o “perigoso” da pista. Como ele é soberano, não pode ser tirada a punição ao piloto sem o aval do diretor, mesmo com o outro piloto dizendo que foi o culpado. Então é assim, manda quem pode e obedece quem tem juízo. Fica o aprendizado. Vamos à corrida. A vitória caiu no colo do Lipe, quando o Bruno Kuwada, que terminou em primeiro, tomou uma ADV e foi penalizado com 10s no final da corrida. Mas isso é problema do Bruno e o Lipe que fez uma corrida limpa não tem nada com isso e o que vale são os pontos conquistados, a medalha no peito e a foto no primeiro lugar do pódio. Em segundo, quase que um pentelhésimo atrás do vencedor, Greg, que chegou a 0.06s do garoto e quase que tira dele a vitória. No terceiro lugar veio Leandro Luiz, que brigou o tempo todo com o primeiro e o segundo, chegando numa diferença de 1.35s entre os três, mas foi só. Completaram o pódio Thiago Theodoro em 4º, Paulo Rogério em 5º e Bruno que na pista chegou em 1º mas com a ADV já citada acima, ficou mesmo em 6º.

SUPER GRADUADOS - G1

Como já dito no texto do grupo acima, não era a primeira e nem a última vez que o diretor de provas ia cometer um erro grotesco, e ele entrou em ação novamente confundindo os pilotos e aplicando uma ADV no Ivan Guerra. O piloto chegou em sexto, mas com a punição perdeu 10s e foi parar em 13º. Ele estava tão feliz ... Vamos à corrida Parece que o ET (Elvys) está virando um Terráqueo. Pela segunda corrida consecutiva ele não venceu, o que nos deixa animados, pois o nível técnico dos pilotos está subindo. Em primeiro, veio ele, Resek, o James Hunt da CDK, que mostrou o dedo do meio pra todo mundo, colocou 8s de vantagem pro ET e ganhou a prova. No final da corrida ele declarou “já sabia que eu ficaria no mínimo em primeiro, e foi o que aconteceu... Dei show! Chupem, críticos!”. Brincadeira, ele não disse isso, é só pra reforçar o apelido. Em segundo, como já dito, o quase ex-ET Elvys, que largou pra lá de Deus me livre, mas não conseguiu chegar nem perto do vencedor, mas detonou os demais que encontrou pelo caminho. Pra fechar as três primeiras posições veio Diego Freitas que como prêmio de consolação leva 2 pontos pela volta mais rápida. Completaram o pódio Nardo em 4º, Marcatto em 5º e Oscar em 6º.

A próxima corrida é novamente em Interlagos, no dia 17 de setembro, e o campeonato chega na sua metade. Tem tudo para embolar e ficar ainda mais emocionante.

Você não vai perder, vai ??? Acelera !!!

Texto por: Guilherme Pereira Bassi