6ª Etapa - 04 Dezembro 2016 - Interlagos

Amigos, amigos... Campeonato à parte

Chegou o grande dia! Aquela celebração toda bonita, entrega de medalhas, troféus, fotos, estourar champanhe é tudo muito legal, mas o que estávamos querendo mesmo era o churrasco pós corrida. Depois de muita disputa nas pistas, tínhamos que confraternizar do melhor jeito possível, que foi com amigos, carne e cerveja gelada, a maior e melhor companheira dos confrades.

CORRIDAS...

SUPER GRADUADOS – G1...

A final chegou e o campeonato estava bem embolado. A disputa estava entre Linguini e Trilili, sempre dividindo a ponta da tabela. Após a 5ª etapa, a Trilili assegurou a ponta e precisava “apenas” que seus dois pilotos chegassem na frente dos seus outros adversários na briga pelo título. Marcatto fez a lição de casa e garantiu o primeiro lugar na última prova, só que não contava que seu parceiro, Artur, chegasse em 10º. Faltou apenas três posições para a taça trocar de mãos, mas como o campeonato premia a equipe mais regular, não foi dessa vez. Ao “menos” ele levou o título de melhor piloto do G1.

O vencedor da prova largou em 10º lugar, e andando muito, 1s mais rápido que seus adversários, assegurou o lugar mais alto do pódio. Magrão, que também estava andando muito bem, saiu de 7º para 2º, e o Leo Zapella até que tentou estragar a festa dele, mas não foi páreo, chegou em 3º depois de largar em 6º. Completaram o pódio Martin em 4º, Ivan Guerra em 5º e Nardo em 6º.

Com os resultados, o título continuou com a Linguini, atingindo o tri consecutivo.

Parabéns Nardo e Resek!

GRADUADOS – G2

Se tem uma coisa que sempre tem no G2 é discussão. Todos querendo sempre ganhar, uma hora acontece um desentendimento normal, que sempre fica na pista, afinal, jogo é jogo e treino é treino. Se no G1 estava embolado, aqui o buraco era mais embaixo e Double Trouble e Falidos mostraram que a disputa seria da primeira etapa até o fim do campeonato. Dito e feito, a diferença foi de apenas 34 pontos da equipe campeã para a vice.

Vamos à corrida. Depois de ver o G1 e suas peripécias, o G2 foi à pista. Tinha uma pessoa que estava meio sumida por aqui desde a segunda etapa, mas que voltou aos holofotes confrades depois de uma corrida espetacular. Estamos falando do Caio Tonin, que depois de largar em 13º lugar e travar uma bela disputa com o Edgar - o qual chegou em 2º com uma diferença de apenas 0.2s -, chegou em primeiro. Em 3º veio o Bido, tentando jogar uma água no chope da Double Trouble, e ele até conseguiu, porém não contava com o 4º lugar do Paulo Sant’Anna. Completaram o pódio Thiago em 5º e o reserva Martin em 6º.

Sem água no chope e com um colarinho de respeito, o título ficou com a Double Trouble.

Parabéns Paulo e Roberto!

LIGHT – G3

Você que achou que o G3 não teria emoção se enganou. Chegamos na final com 3 equipes podendo levantar o caneco de campeão: Overdose Racing, Galant’s Da Bright e Spartacus Racer. Como já foi dito, o campeonato premia a equipe mais consistente, mais regular as 6 etapas e novamente foi assim. A diferença entre a equipe campeã, para a terceira colocada era de apenas 54 pontos, com tudo podendo acontecer com qualquer erro de qualquer dos seis pilotos.

O primeiro colocado foi inédito nessa edição. Largando em 4º, Waldemar deu uma de intruso na brincadeira das 3 equipes e ficou com o lugar mais alto do pódio. Esse aí tem muita experiência na bagagem quando o assunto é kart. Guilherme Bavaresco até que tentou, mas o Dema estava impossível. Largando em 9º e chegando em 2º, Guilherme deu muito trabalho, mas não conseguiu ultrapassar Waldemar e ficou no degrau de baixo. Logo atrás veio Thiago Garrido, que após largar na pole, ficou com o 3º lugar. Completaram o pódio Daniel Borges em 4º, Leandro Bonfim em 5º e Cayto em 6º.

Regularidade mantida, o título ficou com a Spartacus Racer.

Parabéns Cayto e Diego!

Você não vai perder, vai ??

Acelera !!!